Mensagem de
Upanishad K. Kessler

Uma vida dedicada ao Reiki no Brasil

Quando cheguei no Brasil, em dezembro de 1990, sequer sonhava com um futuro dedicado ao Reiki. Como poderia? Estava apaixonado pela minha namorada, estava a fim de conhecer esse país tropical e não fazia plano algum sobre meu futuro.

Na década que seguiu, descobri o Reiki como caminho do meu coração, vi o Reiki sair do desconhecido e tornar-se uma arte de cura tão popular como massagem ou acupuntura. Estima-se que, na Alemanha, um porcento da população (cerca de um milhão de pessoas) é iniciada em Reiki e, certamente, também no Brasil é apenas uma questão de pouco tempo para chegar lá.

Vi minha vida passar-se da fase de "peregrino" para uma fixação cada vez maior em Brasília: de 1993 a 1997, viajei tanto que praticamente não morei em lugar algum. Estava indo de cidade em cidade "de mala e Reiki". Em 1998, formei minha família e as viagens tornarem-se cada vez mais escassas.

Já na ocasião do nascimento do nosso primeiro filho, eu e minha esposa cogitamos a possibilidade de mudar à Alemanha quando este estiver perto de entrar na escola. Hoje (estou escrevendo estas linhas poucas semanas antes de nossa mudança), essa é a principal razão pela qual estamos mudando. Embora todos os meus amigos comentam que hoje sou mais brasileiro do que alemão, ainda sinto uma forte conexão com minha terra natal e desejo que minha família a conheça.

Ainda não tenho certeza da duração da permanência na Alemanha, mas estarei retornando regularmente ao Brasil, de seis em seis meses, para estar presente para meus alunos de Reiki. Meus "filhos de Reiki" continuarão a existir: a revista "Via Reiki" continua sendo editada no Brasil e sob minha supervisão, os Ambulatórios e as Clínicas Sociais de Reiki continuarão dirigidas pelo meu amigo João Carlos (no Rio) ou pelas próprias terapeutas (em Brasília).

Há amigos dizendo "Ano que vem você está de volta!" e existem muitas oportunidades para perceber que os laços com o Brasil são fortes. Não estarei abandonando o Brasil, nem os frutos de uma década de trabalho. Já temos alguns projetos para viabilizar a continuação do meu trabalho, mesmo eu estando no Brasil apenas de seis em seis meses - você será informado a respeito (desde que faça parte do nosso cadastro ou visite nosso site regularmente, é claro).

Estou partindo de coração dividido entre tantos amigos no Brasil e a Alemanha, mas aprendi a confiar no Reiki e nos caminhos aonde o Reiki me leva. Já tenho um curso de Reiki confirmado na Alemanha (em Darmstadt, perto de Frankfurt). Somente o tempo e a experiência mostrarão o passo seguinte. Acho que, uma das coisas que realmente importa na vida, é ter coragem e disposição para mudança, não terminar a vida dizendo a si mesmo "eu poderia ter tentado isso e aquilo e não fiz".

Como dizia a Sra. Hawayo Takata: "Let your hands teach you" (Permita que suas mãos lhe ensinem). Para mim, isso significa cada vez mais seguir o caminho do meu coração, cuidar da minha família, da minha "companheira de vida" Bernadete. O Reiki acompanha minha vida (ou é a minha vida que acompanha o fluir Reiki?) e a vida é mudança, desprendimento, fluir e respirar fundo. Como diz Osho, meu mestre espiritual: "In existence there are not gaps; everything is continuous"* (Na existência não existem buracos; tudo é contínuo).

É muito especial poder olhar para traz, para o passado e dizer a si mesmo "Faria tudo de novo!".

Obrigado Brasil
pelo sol,
por todos os amigos de hoje e de ontem
e por todos os alunos.

Até logo,

Upanishad K. Kessler
Brasília, 19 de janeiro de 2003

*Rajneesh, Osho em Sat Chit Anand, chapter #28, Existence needs you, question 2. Tradução: Upanishad.

Retorna à seção "Upanishad" Agenda brasileira Cadastre-se

 

Agenda brasileira | Agenda portuguesa | Agenda alemã
Bolsa-Reiki 
Reiki | Usui Shiki Ryoho | Ambulatório | Clínica Social | Cursos | Treinamentos | Revista Via Reiki | Loja  | Upanishad
Registo | Contacto | Links

© Upanishad K. Kessler, 1997-2005